Postagens

Encostos

Eu acredito em encosto.
Não acredito em fantasma, mas acredito em encosto.

Você tem um. Certeza que tem. Tem alguma pessoa que assombra você.
Uma assombração viva.


É nessa pessoa que você pensa quando responde o aceno de alguém que não estava acenando pra você. É ela que observa as suas vergonhas. É ela o fantasma que você quer agradar.

E, engraçado, nem sempre é alguém tão importante assim. Às vezes é uma pessoa que a gente nem conviveu direito.

--

Meu primeiro encosto foi um menino do ensino médio.

Pele bem branca, cabelo bem preto, jeito de atleta, super gente boa.
Foi bater o olho nele pra ele virar minha referência pra tudo.

Sem saber, ele me controlava. Quando minha voz saía muito alta sem querer, eu me constrangia. Certeza que ele achava isso ridículo. Quando eu fazia uma piada sem graça, era ele o critério. Se ele não ria, estava decretada minha falta de graça.

Perto dele, fui falando cada vez menos e mais baixo.
Com o tempo, fiquei assim mesmo longe dele, como se só imaginar …

13 baleias why

SOBRE O DESAFIO DA BALEIA AZUL
ou
SOBRE 13 REASONS WHY
ou
SOBRE O QUE VOCÊ QUISER:

Eu sei que você não suporta mais ver textão a respeito dessas coisas.

Eu também não, e eu honestamente acho que a maior parte do que tem sido dito a respeito está um pouco fora de foco.

Transtornos mentais e suicídio são muito mais complexos do que parecem.

--

Situação 1:
Eu tinha oito anos e alguns vendedores ambulantes começaram a vender bonequinhos de bexigas recheadas de farinha na porta da escola. Alguém começou a soltar o boato de que dentro das bexigas tinha cocaína.

Pânico.

Os pais exigiram providências. A escola mandou um dos bonequinhos pra análise.
A polícia apareceu. Os vendedores foram tocados dali. Afinal de contas, ninguém quer que crianças em idade escolar usem cocaína.
Isso é para adultos.

A análise de laboratório voltou com o resultado chocante: os bonequinhos de vinte e cinco centavos não continham cocaína nenhuma.
Pena, seriam um ótimo investimento.

--

Situação 2:

Minha mãe sempre te…

Carros

Um cara de roupa social impecável estacionou aqui na frente do escritório e desceu do carro.
Tirou uma flanelinha do bolso de trás da calça e, juro por Deus, tá fazendo carinho no carro faz pelo menos meia hora. Isso que carro já tava um brinco quando ele parou.
Se você quer que um homem te ame de verdade, esquece o silicone.
Implanta logo um pneu em cada membro e começa a fazer vrum-vrum com a boca porque, por algum motivo, isso é irresistível.
--
O automóvel representa pro homem* tudo o que um namorado representa para uma mulher**.
(*estereotipado e clichê
**estereotipada e clichê, como eu estou fazendo muito esforço de deixar claro para não puxarem minha orelha depois)
O primeiro carro ele nunca esquece.
O primeiro namorado ela nunca esquece.
Ele se sente seguro no carro.
Ela se sente segura com o namorado.
Ele senta no carro e vira um bicho, obedecendo seus mais loucos instintos.
Ela senta...enfim, cês entenderam.
--
Na época da faculdade, meu TCC foi sobre isso: o que as pessoas tan…

Os abusáveis

Relacionamentos abusivos são o assunto do dia. Que bom.   Quer dizer, que pena que eles existam tanto a ponto dessa discussão ser tão necessária, mas já que existem... Que bom que estamos conversando.
Nessa conversa, a gente fala bastante sobre o abusador. Isso ajuda bastante na hora de perceber o que é uma situação de abuso e o que não é.
Ainda assim - pelo medo de não ser amada e pelos truques do inconsciente - uma pessoa num relacionamento abusivo dificilmente vai conseguir identificar o seu parceiro ali.
E agora, sem olhar para o outro, como identificar se o seu relacionamento é abusivo?
Olhando para dentro.
--
Se existem traços de personalidades que caracterizam os abusadores, também existem características que indicam uma personalidade "abusável". São elas:
1 - Pessoas que sofrem abuso são muito responsáveis. Pessoas com uma personalidades abusáveis costumam ser muito eficientes. Antecipam a necessidade do outro antes que ele diga qualquer coisa, trabalham com gana nos…

Pânico e prisão

Às vezes eu me dou conta que meus dedos estão presos.
Eles sempre estão presos, nenhuma novidade nisso. É pra isso que servem os sapatos, afinal.
Mas às vezes eu me dou conta disso, e isso me incomoda.
Tento abrir e fechar meus dedos e não consigo. O movimento fica limitado. Eles estão presos e isso é horrível.
E, como se fosse questão de vida ou morte, eu preciso sentir que posso abrir e fechar meus dedos do pé. O calçado incomoda. A garganta aperta e eu não consigo pensar em outra coisa. Eu estou preso.
As coisas aumentam de proporção, como se eu entrasse em contato com uma realidade maior.
Está tudo errado, estamos todos numa gaiola, estamos todos presos e esses calçados são um sinal de tudo isso, e eu preciso me libertar.
Aí eu tiro o sapato e tudo bem.
--
Não me sinto bem quando chega o inverno.
O inverno bravo, aquele mês e pouco em que a temperatura fica perto do zero e o i

Timeline

Vou descendo pela timeline e vendo a vida de vocês. Vejo vocês casando. Tendo um filho. Tendo o segundo. Caindo, levantando, erguendo a cabeça. Comemorando um diploma. Entrando num curso novo. Viajando pra fora do país. -- A gente não costuma dizer aqui quando está triste. Aqui é a edição dos melhores momentos da nossa história, e a gente até estranha quando compara a cena dos nossos bastidores com o que vê na timeline. -- Aí alguém vem me chamar em particular e me confidencia que não tá tão bem. Que o relacionamento tá acabando. Que o trabalho tá difícil. Que a mãe está doente. Que perdeu a fé. E que se sente uma fraude por causa disso. -- Nesses momentos eu queria mostrar a rede social de cada um pra vocês. Não pra vocês se sentirem uma fraude perto da felicidade que está estampada ali, mas pra lembrarem que vocês já conquistaram muita coisa. Amaram. Tiveram um filho. Tiveram segundo. Estudaram, ralaram, conseguiram um diploma. Caíram e levantaram - e daí se caíram de novo? Vocês j…

Como pedir um favor

Você é gentil.
Você se esforça para ser uma pessoa com algo a oferecer pra sociedade. Você trabalha para ter amigos.

E você consegue! Você tem habilidades e muitas pessoas ao seu redor. Parabéns!

E aí alguém te pede um favor.

--

Não que isso seja ruim. É ótimo poder fazer um favor pra alguém.
Você valida todos os esforços que já fez e ainda consegue ganhar uma delícia de "muito obrigado" depois do serviço feito.

Isso se a pessoa que te pediu o favor tiver o mínimo de boa vontade.

Me recuso a acreditar que quem abusa de um favor o faça por má vontade.
Minha cabeça não aceita que alguém seja inconveniente com alguém que tem algo a lhe oferecer de propósito.

Mas tem gente assim, como tem. Então eu vou tentar ser didático.
Eis aqui meu guia de como pedir um favor sem ser um idiota.

--

Pra começar, cuide de como você vai abordar a pessoa a quem você vai pedir o favor. Lembre-se, você precisa dela. Ela está na vantagem.
a) "Faz café pra mim" - Ruim até se você estiver pa…