24.3.12

Pelo bairro

A última semana foi tão pesada que me fez planejar um fim de semana cheio de eventos.

Convidei mil amigos pra comer pizza aqui em casa, combinei de sair com o pessoal da natação, fiz tudo o que eu pude pra que o meu final de semana não fosse baseado, mais uma vez, em ficar em casa comendo Shot de amendoim.

Obviamente, nenhum dos combinados deu certo. Pra piorar, o meu celular estragou e me impediu de ligar pra alguém pra tentar combinar algo de última hora. Pra repiorar, o namorado pediu um tempo.

Escrevo isso comendo Shot de amendoim.

--

Na falta do que fazer, dar uma volta pelo bairro me pareceu ótimo. O dia já tinha escurecido e a temperatura estava baixa. Dia nublado. Exatamente o visual que me encantou quando vim para Curitiba pela primeira vez e  me fez mudar pra cá.

Fui desfilando a cara feia pelas ruas, ocasionalmente ficando com medo de algum grupinho que se aproximava e pensando em atravessar a rua, ocasionalmente assustando alguma velhinha ao passar por ela e vê-la atravessar a rua com medo de mim.

--

Até que passei por uma mulher, negra e com tererês multicoloridos no cabelo.

Atravesso seu caminho ignorando completamente a existência dela (e ela a minha). Depois de cruzar com ela, escuto um "Oi!" tão alegre que confesso que fiquei com medo.

Respondo um "Oi" tímido. Ela para o seu caminho e diz, bem alto, "Sorria, garoto! Anda com a cara fechada não!".

Me senti um bobo, andando por aí sem mostrar os dentes pelo caminho.

"Isso aí!" disse pra ela, e abri um sorriso. Ela respondeu "Agora vou correr, que tenho que trabalhar. Tchau!" e realmente saiu correndo.

Obrigado, mulher maluca que gritou comigo me mandando sorrir. Você fez meu dia valer a pena.

--

Valer a pena até que eu passei pelo supermercado e escutei a caixa comentar com a empacotadora "Porcaria de música, hein?" e a empacotadora responder "Depois os clientes não voltam e eles não sabem o porquê!"

Tava tocando Cássia Eller, cantando Juventude Transviada. Olhei para a empacotadora e sorri.

Com ódio, mas sorri.

2 comentários:

  1. Anônimo12:16 AM

    São tantos assuntos que lavam a alma e torcem o cérebro que nem sei se estendo as idéias,ou recolho as palavras, se enxugo os assuntos ou ponho tudo de molho...
    Paulo Meirelles -

    ResponderExcluir
  2. adorei a tia do Oi. São pessoas iluminadas...

    ResponderExcluir

Suicídio e graça

Morro de inveja de quem sabe contar uma boa piada. Eu sou pior do que uma pessoa que não é engraçada: eu sou uma pessoa que tenta ser engr...