18.5.12

Baitolagem

Lembrei de uma que aconteceu outro dia.

Na quadra de casa, resolvi caminhar de mãos dadas com meu namorado. Do nada, aparece um cara com um jipe e grita "Porra, tudo bem ser viado, mas andar de mãozinha dada já é demais!".

Minha bipolaridade me partiu ao meio naquele momento: Metade minha pensou "Cacete, que lindo, esse não se preocupa com o que eu faço com meu reto! Só com minha mão. Um intolerante de vanguarda! Já pensou se um dia ele descobre o que é fisting?"

A outra parte pensou "Puta que pariu, a gente nunca vai viver num mundo onde dê pra sair na rua de mãos dadas sem levar uma dessas? Onde que uma mão dada consegue ofender a ponto de fazer alguém parar o carro no meio da rua pra gritar isso pra um indivíduo?"

A parte revoltada ganhou. Fiquei putíssimo. Pensando em me candidatar a vereador pra combater a homofobia. O grito do cara mexeu comigo profundamente, nos segundos seguintes ao incidente.

O meu estado de choque só passou quando meu namorado berrou "TOMAR NO CU, SEU FIADAPUTA!" pro cara.

Aí a paz voltou a reinar. Acabou minha carreira política.

--

Que nem a vez que uma menina me disse que um gay poderia ser curado com psicoterapia e oração. Não acho psicoterapia sugerível nesses casos, porque é o tipo de coisa que demora demais.

Sou mais a favor de encaminhar a pessoa com urgência para um hospital, de ambulância e tudo, pra fazer um implante de Bíblia e ficar com Deus no coração.

Aí você anda de mãos dadas com Jesus. Figurativamente, pra não virar boiolagem.

--

Fiquei em dúvida na hora de escrever a frase anterior: não sabia se escrevia "boiolagem" ou "baitolagem". "Baitola" soa mais ofensivo, mas "baitolagem" parece ser mais científico pra descrever o comportamento. "Boiolagem" está para "baitolagem" assim como "homoafetividade" está pra "homossexualidade".

Fica boiolagem na frase, baitolagem no título. Já a viadagem fica na alma, irmãos.

3 comentários:

  1. Haha, deve ter sido uma cena ahsuahsuhsausa
    E confessor que precisei procurar o significado de "fisting" hushsuahsuashuasa
    É da natureza humana temer o desconhecido, o homem de alguma forma não entende a experiência homossexual, e na mente dele isso causa grande desconforto.
    Um conselho, tolerar tal iniciativa agressiva por parte do homem talves te ajude a entender o estado psicológico dele e algum dia você possa ajudar ele com isso, quem sabe ele sente o desejo de ser gay e têm medo disso. Seria isso que eu faria.

    ResponderExcluir
  2. Anônimo9:15 PM

    Essas pessoas que não respeitam os outros!
    Lembro-me que meus avos contavam que na época deles era díficil de se ver um casal (homem e mulher) de mãos dadas. Hoje é natural vermos casais se agarrando em qualquer lugar na rua. Na época isso era o "fim do mundo", hoje é "normal".
    Creio que os homossexuais e os bissexuais vão ganhar espaço com o tempo, não podemos desistir!
    Já ouvi falar no que não era normal (homem e mulher). Logo, logo vamos vivenciar o que não é "normal" (homem com homem) e (mulher com mulher).
    Afinal, o amor é sempre bem vindo, lindo. Só os que amam podem explicar, independente da situação.
    Agora, um dia essas ofensas vão acabar:
    1º) Temos leis que defendem os homossexuais;
    2º) Só o homossexualismo e o bissexualismo não são normais?
    3º) Está para nascer quem me convensa que só o homossexualismo está "errado" no século XXI.
    Não são palaras sábias, mas um ponto de vista de quem vê uma sociedade decadente, que encherga as pessoas apenas pela orientação sexual e se esquecem de que isso é apenas um detalhe.

    ResponderExcluir
  3. eddie6:57 PM

    Flavio, invejei teu namorado!!

    Eu só fico puto por pensar que daqui alguns anos, talvez esse nosso jeito de viver seja bem normal... e que agora, tenhamos que pagar o pato...

    ResponderExcluir

Cumprimentos

Já existiu um mundo em que, guerras e traições à parte, havia mais honra entre os homens. Havia um código, um sinal universal que garantia a...