12.1.14

Antes de dormir

Pergunte para qualquer serial killer ou cientista social: o ser humano é perfeitamente fatiável. Entre orientais e ocidentais, religiosos e céticos, os que preferem Trakinas de chocolate e os que preferem de morango - é possível dividir a humanidade em infinitas categorias para compreendê-la melhor

Nenhuma divisão, entretanto, é tão poderosa quanto a entre pessoas que dormem rápido e pessoas com insônia.

--

Se você é capaz de deitar numa cama, fechar os olhos e só abri-los novamente no dia seguinte, você não tem ideia de como é invejado. Você é visto como o possuidor de um superpoder, como alguém que não precisa enfrentar a morte.

Porque a pessoa que deita na cama e demora pra dormir... só essa pessoa tem noção do que é a eternidade.

--

Você deita.

A cama está confortável, a temperatura está ideal. Você está cansado. Você acordou às cinco da manhã e agora já passou da meia-noite. São as condições perfeitas para cair no sono.

Aí você lembra que precisa passar no supermercado no dia seguinte. Coisa rápida, você perde uns minutinhos fazendo uma lista de compras mental e se prepara pra dormir novamente.

Mas não adianta. Como engrenagens de um relógio gigante que começam pouco a pouco a girar, seu cérebro começa a pegar no tranco. Quando você vê, está processando mais dados por segundo que um computador da NASA.

Você pensa no que precisa fazer no trabalho no dia seguinte. Você corrige seus deslizes na apresentação que na sala de aula na sétima série. Você tem ideias de invenções que poderiam revolucionar a humanidade.

Puta merda, você nunca foi tão genial quanto nesse momento de insônia.

--

Mas você sabe que isso é tudo artifício do seu cérebro, que acha que dormir é para os fracos e quer te convencer disso. Você sabe que as ideias geniais não vão render o mesmo entusiasmo pela manhã.

Você tenta se aquietar um pouco. Foca na respiração, tenta frear o raciocínio.

Mas seu corpo luta até o fim: o coração acelera feito doido, a perna chuta sozinha. Você pensa que vai conseguir pregar os olhos e - segura! - lá vem a sensação de estar caindo, e você volta a estar mais acordado do que nunca.

--

Quando você finalmente dorme, já passam das seis horas da manhã.

Você acorda ao meio-dia, exausto, e aquela pessoa que fecha os olhos e dorme instantaneamente cruza contigo no corredor. E dispara, orgulhosa:

- Cacete, você é dorminhoco, hein? Eu acordo às seis da manhã e já tô ótimo!

Sorte que você se sente como se tivesse sido atropelado por um caminhão carregado com outro caminhão em cima. Porque senão você matava - e  depois ia tomar seu café, sorrindo.

3 comentários:

  1. Interessante encontrar por acaso este blogue, este post, justamente agora, em que não preguei o olho a noite toda.
    A insônia não me incomoda. Acredito que por tê-la como companheira desde a minha infância (o que me fez ganhar o apelido de Mr. Vampire) já me é habitual estas noites, tanto que até publiquei um livro denominado 11 Noites Insones o qual escrevi em um tempo recorde, em exatas 11 Noites Insones. rs.
    Não creio que seja egocentrismo, no meu caso, meu cérebro funciona melhor durante a madrugada mesmo, o dia tem muito barulho, muita gente falando, ruído de todas as partes. A madrugada ao menos dentro de casa é mais tranquila e fico muito mais produtivo para escrever.
    Ao contrário de você, não me sinto atropelado por um caminhão após uma noite completamente em claro, tanto que vou tomar o café da manhã agora e me mandar pra rua.
    Sim, muitas pessoas acham absurdo e não compreendem meu relógio biológico.
    Curti seu blogue, vou ficando por aqui.
    Abraço e até.

    http//escritoslisergicos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Não encontrei a gadget de seguidores, nem do Blogger, nem do G+ e tampouco um "seguir por e-mail", como fazer para receber suas atualizações?

    ResponderExcluir

Sem cinismo

Uma criança brinca. Corre como se não tivesse limites, desbrava a sala como se fosse um campo de guerra e cai no chão como quem cai numa emb...