Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2014

As Meninas do Papai

Das lições que a vida costuma dar, algumas parecem se repetir. E parecem se repetir com um script tão parecido que fica difícil não procurar os elos entre a dor de uma pessoa e outra, para entender o que elas têm em comum.

--

Estou entrando na fase da vida em que a morte dos pais começa a ser mais natural e menos vista como tragédia.

Mas essa cena se repete muito: Tenho visto várias amigas, jovens mulheres recém-entradas na vida adulta, perderem o pai recentemente.

Fiquei reparando o padrão, e algumas coisas parecem ser compartilhadas.

A morte enfeita as pessoas, mas todas essas meninas descrevem o pai como a referência de amor de suas casas, a maior fonte de carinho que tiveram quando meninas.

--

O que a vida está querendo ensinar quando tira de uma recém-mulher a sua maior referência de amor da infância?

Minhas amigas que ficaram órfãs depois de adultas parecem mudar de jeitos similares.

Ficam mais seguras para a vida, até meio duronas. Começam a comprar briga, quando antes eram men…

Partindo pra briga

Minha mãe, como todas as mães do mundo, tinha um argumento certeiro para me desarmar quando eu brigava com ela:

"Você sempre foi brigão! Só sabe brigar!", ela falava.

Eu, sem saber outra maneira de reagir que não fosse dizer "EU NÃO SOU BRIGÃO!" aos berros, partia pro quarto batendo porta. Até mesmo um brigão precisa de coerência.

Alguns anos de doutrinação cristã depois, eu fui pamonhizado o suficiente para me tornar mais pacífico. Ganhei muitas coisas com isso: menos conflitos, fama de bonzinho e gastrite nervosa.

--

O problema de ser bonzinho é que isso acaba com a sua energia.

A parte de você que briga é a mesma que luta pelo que quer, arrisca coisas novas e faz sexo.

Matando essa parte, tudo isso vai embora.

--

Desocupei o apartamento onde morei por cinco anos essa semana. Isso significa que precisei lidar com a imobiliária.

Pra quem não sabe, imobiliária é um lugar que negocia imóveis e representa Satanás na Terra.

O processo de vistoria foi cruel. Por mais q…

Faculdade pra quê?

Meu irmão nunca foi pra frente numa faculdade. Começava um curso, fazia um semestre, achava tudo um saco e trancava a matrícula. Dizia que aquilo não era o que queria da vida, mesmo, e acabava escolhendo outra faculdade pra fazer.

Um semestre depois, tudo era um saco novamente.

Ele comentou comigo, essa semana, que quem sabe agora, um pouco mais perto dos trinta do que dos vinte, fosse a hora de fazer uma faculdade.

Vejam bem: ele já tem uma empresa, tem uma série de capacidades que conseguiram seu sustento até agora, e não tem a intenção de pedir um emprego para ninguém tão cedo.

--

Talvez eu seja resistente demais a essas coisas.

Desde adolescente, toda vez que a leitura de um livro era exigida para alguma avaliação, eu corria atrás de algum resumo, uma ideia geral a respeito ou o relato de um colega que se deu ao trabalho de ler. Sempre consegui nota suficiente sem ter lido nada.

Depois das avaliações, passava na biblioteca, emprestava o livro e lia com o maior gosto do mundo.

No m…