15.3.16

A prisão do Homem Banana

Sobre brigas políticas, presidentes na prisão e pra quem pensa que a política do Brasil é maluca, uma história do Zimbábue:

Em 1936, nasceu na então Rodésia do Sul um homem chamado Canaan Banana, e não, seu nome não era uma homenagem à Terra Prometida do Planeta dos Macacos.

Banana cresceu e virou um pastor metodista, que estudou nos Estados Unidos quando jovem e voltou para África como responsável religioso pela Universidade do Zimbábue.

Super envolvido com política, Banana era um homem do povo com um quê conservador. Como religioso, chegou a publicar um livro chamado "O Evangelho de Acordo com o Gueto". Foi preso meia dúzia de vezes, como todo bom ativista.

Um revolucionário, um escritor, um homem do povão. Uma mistura de Criolo com Padre Fábio de Mello.

--

Num zimbábue dividido, seu maior feito foi unir os dois maiores grupos de guerrilheiros pela Independência, formando um partido político que mais tarde lhe daria o cargo e a honra de ser o primeiro presidente do recém-criado Zimbábue.

Assim que foi eleito, Canaan Banana tomou uma medida não muito bacana com o povão: baixou uma lei proibindo todas as piadas com o seu nome.

Ninguém mais poderia rir do presidente Banana, ninguém poderia mais colar pôsteres pelas cidades com o seu rosto colado num desenho do Andy Warhol, ninguém poderia cortá-lo em fatias e comê-lo com mamão no café da manhã.

Sua imagem saiu descascada.

--

Acontece que Banana era uma fruta. No sentido figurado, mesmo.

Depois de sair do governo, foi acusado de praticar sodomia, um crime pesado em seu país - ainda mais para um clérigo evangélico como ele. Depois de todos os julgamentos, foi condenado em onze acusações de ter colocado Banana onde não podia.

(onze casos de sodomia, nos dias de hoje, equivalem a mais ou menos uma semana de um rapaz com o Grindr bem posicionado)

Condenado, fugiu do Zimbábue e encontrou-se com Nelson Mandela, que tinha alguma experiência em ser preso político.

Mandela o convenceu a voltar ao seu país e cumprir pena, provavelmente dizendo algo como "Dez anos de prisão, só? Banana, dez anos não são quase nada, e vão te amadurecer muito!"

--

Banana foi preso mesmo negando todas as acusações, dizendo que eram politicamente motivadas. Disse que seus acusadores eram mentirosos patológicos, que todos os vários homens que lhe acusavam de usar de seu poder para fazer avanços sexuais estavam sendo pagos para isso e, como bom pastor, que práticas homossexuais eram "desviantes, abomináveis e erradas".

Mesmo sendo um ídolo do povão, Banana apodreceu da cadeia.

Saiu da prisão em 2001, para morrer de câncer dois anos depois.

--

Seu sucessor no governo, Robert Mugabe, o "Tio Bob", entrou no governo em 1987 e acha confortável estar lá até agora.

Enquanto vivo, Banana acusou várias vezes Tio Bob de tramar seu assassinato.

Após a morte de Banana, Tio Bob discursou à nação o chamando de "Um raro presente dado ao nosso povo". Ainda assim, Banana foi enterrado sem nenhuma honra presidencial.

Hoje em dia, as piadas com seu nome estão liberadas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Pra quê serve a adolescência?

Nem todo choro é igual. Existe aquele choro comum, um choro de cotidiano, pras angústias do dia-a-dia, e existe o choro sentido, vindo do f...