17.9.16

Agente 06

"Agente 06, você está vestindo seu chapéu de papel de alumínio?"
"Estou, agente 08."
"Ótimo. Assim o governo não vai conseguir interceptar nossos pensamentos."
"Compreendido. Espero que eles também não desejem interceptar esse telefonema."
"Isso é irrelevante, agente 06. Preciso discutir um assunto sério com você."
"Pois não, 08. Diga-me."
"Eu tive um sonho muito estranho essa noite, agente 06. Eu estava no supermercado..."
"Compreendido."
"E eu estava na fila para passar as compras no caixa e pagar a conta."
"Compreendido."
"E, quando chegou a vez de eu pagar, de repente eu estava em outro supermercado..."
"Em outro?"
"Exato. E estava novamente no fim da fila do caixa. Preciso te dizer, agente 06, a fila era enorme."
"Você esperou, agente 08?"
"Esperei. Por horas."
"E aí?"
"Aí chegou minha vez."
"E aí?"
"Aí eu não tinha nada na cestinha."

Silêncio na linha.
"E aí?"
"Aí eu acordei."

Silêncio novamente.
"Você não percebe, agente 06? O governo está manipulando meus sonhos para testar minha resistência mental."

O agente 06 raciocina.
"Faz sentido, agente 08. Mas e agora?"
"Ora, agente 06. Preciso de um travesseiro de papel alumínio."
"Ótimo. Você já fez um?"
"Não fiz. Preciso ir ao supermercado comprar."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Amar é frustrar

Pais machucam filhos. Essa é uma lei da natureza tão certeira quanto a de que pais botam filhos no mundo. Duas certezas biológicas: a da ...