Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2016

Cagando Aranhas

O maior medo de muita gente é acordar um dia e abrir os olhos para não enxergar nada. Perder a visão que lhe permitia andar pelo mundo sem orientação.
O medo não é o de não voltar a enxergar uma flor. Não, é de depender de auxílio para ir de um lugar ao outro. Ter que se orientar pela escuridão, pela memória e pelo inconsciente.
Tolos.
Não fazem ideia de como andam cegos pela vida sem se dar conta.
O conforto da vida é estar cego enquanto enxerga. É não depender dos olhos para se movimentar. É ir de um lado ao outro sem a surpresa de uma cadeira surgir de surpresa no meio do caminho só para causar o seu tropeço.
É esse conforto que tantos temem perder.
Mas não adianta. Mesmo de olhos abertos e com as pupilas a mil recebendo toda a luz que podem, pode aparecer uma cadeira no meio da sala onde imaginávamos estar caminhando em campo aberto e nos fazer moer o dedinho do pé contra sua madeira dura.
--
Pois eu enxergo tudo o que está no meu caminho. Preciso de um par de lentes grossas de ac…

Dessa vez, com raiva

Essa história eu vi com esses olhos míopes que a terra há de engolir:

A moça, com uns 26 anos de idade e casada com um homem de pelo menos uns 15 anos a mais do que ela, descobriu que estava sendo traída.

Era uma mulher forte e ponderada. Não quis ter uma reação emocional. Aguentou. Perdoou. Deixou passar. Seguiu casada.

Um tempo depois, disse ao marido que não ia poder ir a um evento de negócios para o qual estavam convidados. A enxaqueca estava pesada demais naquela noite.

"Desculpe te fazer ir sozinho, amor", falou, pedindo perdão por estar doente.

Ele resmungou alguma coisa e foi embora.

--

[Ok, eu não vi essa história com meus próprios olhos, foi um paciente que me pagou noventa reais a hora para contar isso sem que eu contasse pra ninguém. Por isso, eu mudei a história toda pra poder soltar a língua. Ainda assim, pedi autorização para poder contar a história aqui. Respeito demais quem me paga noventa reais a hora na crença de que eu posso fazer algo útil por ele.]

[Ah…