Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2016

Agente 06

"Agente 06, você está vestindo seu chapéu de papel de alumínio?" "Estou, agente 08." "Ótimo. Assim o governo não vai conseguir interceptar nossos pensamentos." "Compreendido. Espero que eles também não desejem interceptar esse telefonema." "Isso é irrelevante, agente 06. Preciso discutir um assunto sério com você." "Pois não, 08. Diga-me." "Eu tive um sonho muito estranho essa noite, agente 06. Eu estava no supermercado..." "Compreendido." "E eu estava na fila para passar as compras no caixa e pagar a conta." "Compreendido." "E, quando chegou a vez de eu pagar, de repente eu estava em outro supermercado..." "Em outro?" "Exato. E estava novamente no fim da fila do caixa. Preciso te dizer, agente 06, a fila era enorme." "Você esperou, agente 08?" "Esperei. Por horas." "E aí?" "Aí chegou minha vez." "E aí?" "Aí eu…

Inventar-se homem

Rapazes, essa é pra vocês.

Homens que não se sentem em casa entre os sarados top macho alfa da balada e nem com os desconstruidões do pé descalço do sarau-ciranda.
Os que estão no meio-termo.

As mulheres não são mais as mesmas do que prometeram pra gente quando a gente era criança, né? Pois é, elas mudaram. A gente, não tanto.

Aí sobrou pra gente se segurar como puder.
Alguns se afirmam no "foda-se, vai fazer meu sanduíche, mulher é pra meter mesmo, sai feminazi".
Outros ainda não sabem bem o que fazer diante de uma mulher empoderada, que ele respeita e admira mas fica mas sem saber qual a função que lhes resta.

Desses eu tenho visto muitos, que aparecem no consultório, calados e intimidados por não quererem a mesma coisa de um relacionamento que a namorada, ou morrendo de vergonha de estarem com menos tesão por uma mulher que engordou, como se não tivessem o direito de ter um pau que fica duro por causa de atração física.

--

Meninos, a gente tem que aprender algumas coisas …

Suspenso

De uns dias pra cá, toda vez que o despertador toca pela manhã, eu entro num estado de vazio de pensamentos que me assusta.

É como se eu passasse alguns segundos em estado de total falta de referência, como se o computador da minha mente ainda estivesse inicializando e os dados ainda não tivessem sido computados corretamente.

As informações de quem eu sou vem uma a uma, como se não fosse natural pra mim sabê-las.
"Onde é que eu trabalho mesmo?"
Eu lembro, e é como se levasse o soco da rotina da vida adulta todo de uma só vez.

"Eu moro sozinho?"
E cai a ficha, "Sim, eu moro sozinho. É muito fácil alguém entrar nessa casa se pular o muro."
E vem um pânico que ignora o fato de eu já morar sozinho há anos.

As notícias dos últimos tempos vão aparecendo.
"Quem morreu? Ah, é. Que merda."
"O que é que eu prometi fazer? Mas eu não consigo fazer isso!"

Dura muito pouco tempo, mas é uma sensação muito ruim de ausência de localização.

É como se eu…