3.2.17

Enxaqueca

Você já teve enxaqueca? Sabe como é?

Na definição padrão: "é uma dor, geralmente em um dos lados da cabeça, latejante ou pulsátil, que dura de 4 a 72 horas e pode vir acompanhada de náuseas e/ou vômitos, tonturas, intolerância à luz (fotofobia), barulho (fonofobia), cheiros (osmofobia) e movimentos (cinetofobia)."

Se homofobia também estivesse na lista, eu acho que entenderia melhor os Bolsonetes, porque essa definição não traduz nem de perto o horror que é uma crise de enxaqueca. Se você quer entender como é, pode deixar que eu explico.

--

Quer dizer, é diferente para cada pessoa, mas pra mim a sensação é como a de um prego no meio da testa. Um prego que dá choques elétricos e fica se mexendo lá dentro e de vez em quando chama um amigo para entrar na minha nuca também.

Normalmente eu durmo e a dor passa, mas nem sempre é fácil dormir e nem sempre isso adianta.

Luz incomoda. Qualquer luz. Qualquer maldita frestinha. Se a própria Fada Sininho aparecer querendo te dar a juventude eterna, você mata ela porque ela brilha.

Comida incomoda, cheiro incomoda, água incomoda, pensar incomoda. Tudo incomoda. Seu cérebro se transforma num velho rabugento, e todas as coisas do mundo são crianças jogando bola e gritando no seu quintal.

--

Enxaqueca é um negócio engraçado porque ela é debilitante e não é ao mesmo tempo. A cabeça dói mas quer continuar funcionando, e está super atenta, e se você quiser muito até consegue desempenhar tarefas... Até o prego na cabeça virar uma britadeira.

Parece que o corpo se sente excluído da dor de cabeça e começa a querer participar de tudo.

Os ombros resolvem falar "Sabe alguma posição confortável pra eu ficar? Porque eu não conheço nenhuma. Assim eu tô desconfortável."
E você mexe. "Assim também tá ruim", ele fala, e você mexe. "Assim também", e você chora.

O estômago fica tipo uma criança de seis anos que tá cansada, e fica te cutucando.
"Tô mal", ele diz, e você fala "Tá bem, querido, já passa...", "MAS EU TÔ MUITO MAL", ele diz, e você pega no colo e tenta fazer carinho, e aí ele vomita bile.

O maxilar fica tenso, e você abre e fecha a boca tentando relaxar. Ele entende a missão e quer ajudar, mas não consegue, então ele fica mais tenso, e você tenta apertar ele um pouco mais pra ver se forçando vai, mas aí ele trava e fica mais tenso ainda, e você começa a fantasiar que está recebendo o suave carinho de uma serra elétrica na cara.

O intestino fica afobado, tipo: "Quer que eu faça alguma coisa? Eu posso participar? Eu não sei o que fazer? Quer que eu doa também? Tá bom, vou doer também!".

A cabeça quer descansar, e dói de tão cansada, mas ela precisa administrar tudo, e isso mantém ela tão acordada quanto uma criança com cólica que levou um choque elétrico.

--

As causas da enxaqueca podem variar desde passar tempo demais no Sol até comer chocolate, passando por ter ficado muito tempo no computador ou ter acordado sob a desgraça divina.

Os possíveis remédios vão de uma simples dipirona até bater com a cabeça várias vezes na parede (não tenho certeza desse último, mas é o que dá vontade de fazer quando a enxaqueca vem).

--

Numa crise de enxaqueca, você reavalia toda a sua vida.
Agradece por estar saudável, e fica pensando como seria fraco fraco fraco se estivesse com câncer num hospital, com um problema que não vai parar de doer em um dia ou dois.
Se sente culpado por ter não ter baixado o volume da música aquela vez que sua mãe teve enxaqueca e pediu silêncio.
Você ensa na lista de pessoas que você vai ter que pedir desculpas no dia seguinte por ter cancelado todos os combinados.
Reflete sobre como você não perdoaria alguém que te desse um cano e desse a desculpa de uma dor de cabeça.

Uma enxaqueca é realmente uma das experiências mais educativas que uma pessoa pode ter.
Ensina humildade, ensina paciência, ensina empatia, ensina a entender quem quer eutanásia...

--

E de repente você dorme.
E, dessa vez, você acorda normal.
Aliás, você acorda ótimo. Nem você acredita que estava mal antes. Daqui pra frente, nunca mais. Você vai tomar todas as medidas pra não ter isso de novo.

Como se adiantasse alguma coisa... Tudo volta ao normal até a enxaqueca seguinte.
Só que não seja logo, por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Como escrever um texto meu

Introdução a um assunto qualquer que tenha a ver com a vida das pessoas.  Talvez uma opiniãozinha polêmica, pra chamar a atenção das pe...