1.6.12

Reboot

Acabei de escrever um dos textos mais significativos da minha vida.
Eu nunca usei alguns recursos estilísticos tão bem quanto naquele texto. Era um conto de primeira, de verdade.

Já me flagrei pensando, mais de uma vez, o que aconteceria se o Soneto de Fidelidade sumisse de todos os registros escritos e de todas as memórias, menos da minha. Será que eu, só com a memória vaga, com a ideia principal do soneto na cabeça, seria capaz de reescrevê-lo? Será que, lembrando apenas dos versos mais marcantes, eu conseguiria construir outros que fossem moldura boa o suficiente para que o poema fosse, mais uma vez, considerado um clássico?

Acabei de experimentar essa situação. Era uma boa história que eu tinha na cabeça, e uma história que eu escrevi tão bem que até dei uns pulinhos pela casa de tão alegre que fiquei. Deu problema no computador. Perdi o texto. Tudo estava escrito no WordPad, que não tem o recurso de recuperar textos caso o computador desligue. Pois bem, o computador desligou e o texto foi embora.

Vou tentar reescrever mais algumas vezes. Em todas as dez vezes que tentei escrever agora, o texto empacou na primeira linha. Na primeira linha, o texto antigo tinha mais impacto do o que eu tentar escrever agora inteiro.

Eu sei que parece estranho, mas foi uma morte. Foi um acidente de carro. Foi uma perda irreparável. Problemas de primeiro mundo, mas foda-se, foi uma perda enorme. Não tenho tantas coisas queridas na vida, mas eu escrevo, e mesmo com vergonha digo que escrevo bem. Isso por si só já me dá vontade de querer a vida loucamente.

Depois de perceber que o texto foi embora de vez, eu chorei e eu joguei um copo na parede - e eu sou a pessoa mais controlada que eu conheço. Morro com úlceras, mas não chuto a porta quando perco a cabeça.

E eu perdi a cabeça. Perdi a cabeça porque perdi o texto.

Vou tentar escrevê-lo de novo. Não querendo me comparar com o Vinicius de Moraes, mas eu vou tentar fazer um Soneto de Fidelidade com as memórias que tenho dele. O texto antigo, perdoem o clichê, foi infinito enquanto durou.


(mas dessa vez serei mais atento, e com mais zelo)

Um comentário:

Encontrando caminhos

Ele era uma constante distante nas sessões da minha paciente. Quer dizer, ele sempre aparecia nos fundos de alguma história, ou como motivaç...