28.11.12

Menos progresso, por favor

Depois de uma série de mudanças de endereço, há mais ou menos quatro anos me estabeleci em um lugar só, aqui em Curitiba. Um bairro bacana, tranquilo, perto o suficiente do centro para ir caminhando e longe o suficiente para um amigo estacionar o carro na rua sem se preocupar muito.

Claro que o maior motivo de vir morar aqui foi o aluguel, que na época era uma pechincha. Apesar de ser um dos cartões-postais da cidade, o Jardim Botânico - a duas quadras da minha casa - demorou a ser descoberto pela especulação imobiliária.

Meu aluguel mais do que dobrou desde que me mudei para cá, mas a paixão pelo bairro pacato foi mais forte do que o buraco no bolso.

--

Li no jornal, hoje, que vão construir um shopping center imenso quase na esquina de onde eu moro. Fiquei triste. Vai ser prático? Vai. Vai ter um hipermercado imenso em vez de um supermercado humilde em que eu pergunto pra operadora do caixa se o filho dela melhorou de saúde? Também.

--

Não entendo porque as pessoas enxergam shopping centers com tanta boa vontade. São caixas imensas de concreto e vidro, em que você não sabe se é dia ou noite - a não ser que seja funcionário, aí você sabe que é noite (e também que você não tira dois dias seguidos de folga do seu emprego de salário mínimo há quase um ano).

Eu gosto de morar num bairro que muita gente nem conhece o nome. Eu gosto de precisar caminhar cinco quadras para comer cachorro-quente numa barraquinha que está quase falindo por falta de movimento.

Enquanto isso, o novo shopping vai ser construído a toque de caixa: a obra toda deve ser concluída em menos de cinco meses. Vai gerar muito emprego, que é bacana. Vai ser mais um megatemplo do consumo, que é menos bacana. Pelo menos não é uma megatemplo da Universal, que é muito bacana e pelo menos coloca as coisas em perspectiva.

--

No processo de construção do shopping, também vão demolir uma farmácia, que tem uma atendente com distúrbio bipolar adorável.

Num dia ela me interrompeu a compra pra dizer: "Você tem certeza que vai levar essa caixa de bombons da Arcor? Eles são uma bosta."

No outro, ela me falou que é muito rica e faz medicina.
No outro, ela me abraçou no ônibus e perguntou se eu não tinha me arrependido de comprar aquelas bostas de bombons.
No outro, encontrei ela na rua, chorando e com o rosto completamente rabiscado com batom vermelho.

Uma figura. Não vai sobreviver num shopping center.

--

Já consigo imaginar a inauguração. Adolescentes gritando, mães segurando bebês de colo que choram e tentando acalmá-los dizendo "Vou meter a mão na sua cara", filas imensas em lojas de fast food, o cenário todo estéril, modernoso e padronizado. Tudo para a fazer o povo consumir se sentindo como se estivesse nos Estêites.

Tudo muito sem graça. Posso fazer um protesto? Menos progresso, por favor. Menos McDonalds, mais amor.

9 comentários:

  1. Anônimo11:55 PM

    Amei o post Flávio, gostei do seu blog! Vou acompanhar. Sucesso!

    Lauren P. Stamm

    ResponderExcluir
  2. Anônimo12:01 AM

    Muito bom! Sempre surpreende ler seus comentários.

    ResponderExcluir
  3. Show de texto, Flavio. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo6:46 PM

    mostrou me pouco,preciso de mais algo..e nao estou agradada com as mensagens...enganoso,substituivel por muitos que estao por ai..melhores cartas dirao a mim o que ha por tras..e esse site nao me satisfez.


    gostou e mande sua resposta pois terei sempre a minha a disposicao para lhe derrubar porque minhas palavras serao mais fortes do que as suas...faco lhe dizer um A gaguejando medo.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo6:49 PM

    dizer mentiras nao é pecar.´pecar é ter inveja e mostrar isso a todos,trabalho com uma garota..que é exatamente a rainha do cromo..po a mina seca tudo ate chao com acido!!!!!
    naya

    ResponderExcluir
  6. Anônimo6:50 PM

    publicaaaa aiii,estou te add como melhor comentario me acc aii no teu coracao..digo a verdade com inteligencia sagaz!!

    obrigada

    ResponderExcluir
  7. Anônimo6:53 PM

    lii so o final..aaaaaaaaa ameii o trecho viu!!
    nunca fui de gostar nada dissoo..de ler,mais que bom que outras pessoas roncaram bastante para depois ler este bendito texto!
    parabens e se eu tivesse oportunidade de olhar para tua cara pessoalmente lhe jogava um balde cheioo pimenta malagueta!!!!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo6:55 PM

    nao querendo ser chataaa...mais me expoe aeee..deixa bem claro a verdadeira..
    escrevo trechos,textos em poemas e sou fera nisso..li o seu e vi que ainda esta fraco e so um palpite ou critica...
    escreva mais e mais e mais assim vc esta treinando paraaaaa um novo sucesso em outra vida

    ResponderExcluir

Encontrando caminhos

Ele era uma constante distante nas sessões da minha paciente. Quer dizer, ele sempre aparecia nos fundos de alguma história, ou como motivaç...