12.5.13

Mamãe no Pedestal


Ouvi um professor comentar, uma vez, que quando a mãe é superprotetora com o filho, ela só encontrou um disfarce inconsciente para a própria rejeição. Depois de nove meses ouvindo falar que o que vai sair da barriga dela vai ser maravilhoso e que ela vai amar cada segundo, acontece que o que sai é só um bebê.

A recém-mãe se vê com aquela coisinha enrugada no colo e se sente culpada por não sentir tudo aquilo que a vizinha disse que sentiu quando o filho dela nasceu. A culpa é tanta que ela decide - inconscientemente, é claro - que a coisinha enrugada vai ser tudo na vida dela.

E isso dá merda.

--

Me parece que as propagandas de TV que falam das mães como se fossem seres iluminados, incapazes de errar, um poço de candura e mais nada, estão fazendo a mesma coisa.

Tá certo que um comercial falando "Mãe, eu casei com uma histérica por sua causa" não vai vender tantas máquinas de lavar quanto um que fale "Mãe, a mulher que peida cheiroso por amor aos filhos". Mas isso vai além do que passa nas propagandas.

Por que nós precisamos tanto endeusar nossas mães? Sim, o amor maternal é lindo. Sim, ela te levaria sacolas cheias de comida se você fosse preso.

Mas talvez, só talvez, essa história de colocar as mães no pedestal tenha um fundinho de rejeição. E por mais que sua mãe possa ficar muito feliz com os elogios infindáveis que ganha uma vez por ano, pode ser que ela sinta falta de uma coisa mais sincera.

--

Eu lembro da maior demonstração de amor que eu dei para minha mãe quando era criança.

Meu irmão e eu, pré-adolescentes, corríamos gritando pela casa. Ela, exausta depois de um dia de dar aula de história em um colégio, perdeu a paciência.

Tirou a pantufa do pé, mandou ficar de costas e bateu na gente com toda a força que pôde.

Só que toda a força que ela tinha, no final do dia, era muito pouquinha. A pantufa era macia, e tanto eu quanto meu irmão já éramos bem maiores que ela.

A surra não doía absolutamente nada, mas aí vem a demonstração de amor. Eu e meu irmão trocamos um olhar e, juntos, começamos a chorar aos berros.

Minha mãe, satisfeita, falou "Doeu mais em mim do que em vocês! Agora vão dormir!".

Eu e meu irmão concordamos com ela, em silêncio. Ainda assim, aquietamos nosso facho. Porque, tadinha, ela merecia uma noite de sono.

Isso é amor.

--

Tratar a relação de pais e filhos como se fosse só amor e nenhum problema cria uma distância desnecessária. O amor de verdade existe quando você reconhece que nem tudo é perfeito.

Quando uma mãe olha para o filho recém-nascido e pensa "Credo, essa coisa esquisita é meu filho?", mas toca o barco mesmo assim, ela descobre um amor muito mais bonito do que o que aparece no comercial de fraldas.

Da mesma maneira, quando você entende que sua relação com sua mãe pode ter mágoas e raivas escondidas, mas ainda assim lembra de telefonar para ela todos os dias, você encontra um amor muito maior do que o que está na propaganda do Boticário.

--

Um amor que se demonstra todos os dias, mesmo com dificuldade, é melhor do que um endeusamento que se dá de vez em quando por obrigação.

Mas como não somos filhos de chocadeira, dá pra trapacear no dia das mães e falar que ela é a pessoa mais perfeita do mundo.

Porque - mesmo não sendo - ela é.

4 comentários:

  1. Anônimo4:21 PM

    "O amor de verdade existe quando você reconhece que nem tudo é perfeito."

    É isso aí Flavinho, se olhássemos com atenção para dentro de cada lar, observaríamos um abismo entre a realidade e a propaganda que implica o amor incondicional. Na maior parte das vezes, tentamos maquiar o mundo real, encenamos diariamente a perfeição de um típico comercial de margarina (mas que não significa que o amor genuíno não exista).

    Parabéns ;)

    R.B.

    ResponderExcluir
  2. Querem me deixar com raiva? me chamem de carioca.

    ResponderExcluir
  3. Anônimo5:55 PM

    Querem me deixar com raiva? Me chame de carioca.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo3:20 PM

    estou cansado(a) de conseguir um trabalho q ao inves de me passar as tarefas, ficam dando em cima de mim. e quando ve q sou uma pessoa correta...deixam de me passar tarefa e/ou me demitem. eu só quero chegar no trabalho, fazer minha tarefa e ir pra casa. como qualquer pessoa comum desse mundo. só isso q eu queria. "Compartilhe se voce passa por isso ou conhece alguem que passa por isso"

    ResponderExcluir

Encontrando caminhos

Ele era uma constante distante nas sessões da minha paciente. Quer dizer, ele sempre aparecia nos fundos de alguma história, ou como motivaç...