3.2.14

Derrubando paredes

Estar inspirado é estar disposto a correr em direção a uma parede de tijolos.

Na falta de inspiração, isso também pode ser feito. Talvez com mais de cautela, talvez com menos velocidade. Talvez procurando uma pedaço de parede que pareça mais fácil de derrubar.

Com inspiração, você pode derrubar uma parede que, sem ela, poderia parecer intransponível.

--

Não que haja garantia dos poderes libertadores de agir inspirado.

Você pode estar inspiradíssimo, alinhado com os seus sonhos mais selvagens, com a fúria de mil rinocerontes em fuga, e dar de cara com a parede de uma forma que te derruba tão feio que a queda parece ser definitiva.

Mas não se derruba uma parede de tijolos com uma pancada só, não tão fácil.

Você pode teimar, e retornar à parede com a cabeça mais dura do mundo, e com a maior violência, só para encontrar uma parede ainda mais resistente do que da última vez.

E então, lágrima nos olhos e sangue escorrendo da tampa da sua cabeça teimosa, corre ainda outra vez em direção à ela.

E falha.

--

Você corre mil vezes e continua falhando. E isso lhe desespera, e lhe desinspira.

E você começa a quase achar a graça na parede, e começa a duvidar de correr em direção a paredes, e decide que, se esse caminho fosse para você, a parede não estaria ali.

Com o afeto de uma despedida, você passa as mãos pela parede com delicadeza. Se apóia na parede como quem está descansando de uma jornada longa.

Encosta sua testa nos tijolos, como quem entrega os pontos em uma luta impossível de vencer.

E então, a parede desaba.

--

Alguns tijolos caem na sua cabeça, mas tudo bem. Ela já está acolchoada pelos galos que a sua teimosia deixou.

A parede, ao cair, ergueu um poeirão que ainda te engasga. Fica difícil enxergar qualquer coisa, o horizonte nublado por poeira e surpresa.

Aquilo que você tentou por tanto tempo aconteceu. A parede que te confinava não existe mais. Finalmente você pode correr pra onde quiser.

E a parede dá saudades.

E isso te inspira.

E é hora de encontrar outra parede pra dar cabeçada.

7 comentários:

  1. muito bom o blog, adorei!!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom... Também escrevo, e tenho um blog onde divulgo talvez meus futuros livros, ainda esta no comecinho. Um mundo de fantasias e mistérios. :-)
    http://feiticeiroazul.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Rituais

Rituais são necessários para marcar qualquer fim de fase na vida. É com o ritual do casamento que a gente se despede da vida de solteiro, c...