11.6.15

A Surpresa

Dessa vez, ele não se deixaria esquecer.

A cada aniversário que ele fazia, ganhava da namorada uma festa mais nababesca que a anterior. Agora era hora de retribuir.

Além do mais, ela tinha passado o mês todo dizendo coisas como "E aí, como tá a organização da minha festa surpresa?".

Ele decidiu que não ia dormir no ponto.

--

Passou dias organizando a festa.

Pegou o contato de todos os amigos, passou semanas escolhendo o buffet certo, foi em todas as confeitarias da cidade em busca de um bolo que a namorada fosse gostar.

"Quero só ver a cara dela..." pensava ele, ainda mais porque a namorada estava cada dia mais bicuda com ele.

Até que finalmente chegou o dia da surpresa. Estava tudo pronto. Impecável.

--

Abriu a porta para a ela.

"Pode tirar a venda!"

Ela tirou. Ele, mais empolgado do que se a festa fosse para ele.

"FELIZ ANIVERSÁRIO!"

A expressão dela não foi a esperada.

"Meu aniversário foi três meses atrás, Lúcio Mauro!"

--

O amor dele acabou ali, com aquela ingratidão. Ele saiu em prantos, não sem antes reclamar.

"Você sabe o trabalho que dá organizar uma festa dessas?"

3 comentários:

  1. lente post. Já está marcado nos meus favoritos. Adorei este site ao ler vi que era o que eu estava procurando, Estou ansiosa para ler seu próximo artigo,

    parabéns.e muito Swing um abraço

    ResponderExcluir

Encontrando caminhos

Ele era uma constante distante nas sessões da minha paciente. Quer dizer, ele sempre aparecia nos fundos de alguma história, ou como motivaç...