3.3.17

Academia e Terapia

"Eu tô fazendo terapia há cinco meses, e até gosto, mas não sei se está fazendo tanta diferença assim na minha vida."

Já ouvi isso de bastante gente e a dúvida é genuína.
Você é esforçado, vai à terapia toda semana mas ainda está esperando por mudanças na sua vida... Será que vale a pena continuar indo ou é melhor redirecionar o investimento? Ficar numa terapia que não deu resultado ainda ou usar a grana para umas cervejinhas a mais no fim de semana ou comprar umas roupas novas?

--

A melhor maneira que eu tenho pra responder isso é fazendo uma comparação com uma coisa que muita gente faz.

Estar em terapia é como fazer academia. Olha só:

- Repetição é importante:
Sabe como, na academia, você repete o mesmo movimento muitas vezes antes de ficar com a bunda da Nicole Bahls? Na terapia é igual: você vai passar pela mesma questão várias vezes antes de ficar com a bunda da Nicole Bahls.
Falando sério: olhar para um mesmo tema de várias maneiras pode ser fundamental para entender onde é que aquilo realmente "pega" em você e de que maneira você pode se desvincilhar (ou se adaptar) de um problema.

- É importante se "alimentar" corretamente:
Se você for para a academia sem ter comido, provavelmente seu rendimento não vai ser dos melhores. Você só consegue trabalhar com o corpo que você leva, certo?
Da mesma forma na terapia: o terapeuta só vai poder trabalhar com o conteúdo que você leva, então procure se preparar. Observe como vai sua vida. Fique atento aos seus sonhos. Perceba o que te faz se sentir bem ou mal no dia-a-dia. Separe questões da sua vida que deseje comentar a respeito.
Não que você precise levar um caderninho de anotações para o seu terapeuta - a espontaneidade é muito importante - mas tente ir "alimentado" para aproveitar melhor o seu tempo.

- Faça os movimentos sem forçar a barra:
Se um iniciante tenta fazer supino com cinquenta quilos de cada lado no seu primeiro dia, provavelmente vai sair machucado. É normal ficar ansioso e querer falar tudo de uma vez só, mas calma! Forçar a barra vai doer mais. Abra o seu coração no seu ritmo e deixe que os assuntos encontrem sua própria ordem de importância. É importante respeitar seus limites.

- Desenvolva um prazer em se cercar do assunto:
Sabe como tem gente que se empolga quando começa a fazer exercício e só falta tatuar a palavra Crossfit na testa? Provavelmente essa pessoa levou a sério o benefício do exercício e está sentindo prazer no desenvolvimento que tem percebido em si mesma. Não que eu esteja recomendando que você leve isso ao pé da letra e compre uma camiseta com a escrita "TERAPIA GAMES 2017" nela, mas não há nada de errado em adotar um estilo de vida voltado à promoção da sua saúde mental.
São muitas coisas que você pode fazer que vão estimular seu esforço. Você pode ler livros de psicologia (e até de autoajuda, se quiser, não tem nada de errado com isso. Depois você vai pra terapia e confere se o que leu no livro faz sentido pra você, ora bolas,),
Você pode achar artigos na internet que reflitam sua situação, encontrar grupos de apoio mútuo, se desafiar a passar por experiências diferentes para sair da sua zona de conforto. As opções são inúmeras. Você vai ver que, rapidinho, isso vai enriquecer sua vida e te dar bastante prazer.

E, mais do que tudo:

- Aceite que você não vai ficar forte do dia pra noite:
Na vida corrida que a gente leva, é fácil ficar emocionalmente sedentário, desacostumado a olhar para si. Como no começo de uma academia, em que mesmo treinando super certinho e se alimentando bem, você vai demorar um bom tempo para adquirir o corpo que idealizou ter, na terapia os resultados também podem levar tempo. As dores nunca vão embora por inteiro, não existe cura para a vida - mas você vai ganhando força aos poucos e, quando menos perceber, vai estar com uma força que não imaginava ser possível.

E mesmo que demore, isso não lhe impede de se olhar no espelho e falar "Estou gostando cada dia mais do que eu vejo". De pouquinho em pouquinho, você vai ver como se transformou numa pessoa melhor.

--

Os resultados das duas atividades também são parecidos.

Na musculação, você vai suar, você vai cansar, vai querer desistir.
Os outros vão notar alguma diferença em você. Alguns vão gostar, outros vão reclamar que você está ficando grande demais.
No fim das contas, você vai ficar bem feliz com as mudanças que teve e vai querer continuar nesse caminho.

Na terapia é igual.
Agora vem, monstro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Popstars

É fácil entender o sucesso de programa Popstar, na Globo. Atores, apresentadores, artistas bem sucedidos em outras áreas se amontoam e se ...