9.5.17

Toddy

Se você gosta de chocolate ao leite em vez de comer 99% amargo ou lamber a própria fruta do cacau, sua opinião sobre chocolate não conta. Se o seu café não é 100% tipo exportação e mais denso que um barril de petróleo, você não entende nada de café. Se não botar pimenta na comida até nascer uma hemorróida no seu olho esquerdo, você não é homem. Ai de você se gostar de vinho suave. Povo dá soco no ser humano que torce pra outro time de futebol. Povo briga pra ver se inverno é melhor que verão. Povo briga pra ver quem é o mais justo e igualitário. Depois foi a política que deixou as pessoas extremistas. -- Só sei que as vidas devem estar muito desorganizadas e vazias de afeto. Se não for por isso, por que alguém precisaria tanto se prender a uma opinião - por um assunto bobo que seja - pra se sentir seguro? -- Um dia eu vou inventar uma elitização pra alguma coisa bem específica. Sei lá, tomar Toddy com leite azedo. A pessoa na cozinha, bem na dela, e eu chego: "Nossa, cê tá tomando Toddy?" "Sim, sim, é meu vício!" "Mas COM LEITE?" "É desnatado, né? Pelo menos eu tento cuidar..." "Mas é azedo, né?" "Como?" Aí eu chego perto e cheiro a caneca da pessoa. "Credo, você toma Toddy com leite fresco?" A pessoa não entende, eu faço cara de nojo e pena: "Cada doido com sua mania, né?" Não dou um mês pra ter uma galera tomando Toddynho azedo de nariz empinado e se fazendo de entendida na internet.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Encontrando caminhos

Ele era uma constante distante nas sessões da minha paciente. Quer dizer, ele sempre aparecia nos fundos de alguma história, ou como motivaç...